Monday, 22 October 2007

All lies..


Tenho cá dentro uma dor
Que grita dentro de mim
Um suspiro doloroso
Que parece nunca ter fim

De mãos atadas
Sem saber o que fazer
De costas viradas
Para quem outrora me fez renascer

Triste com o mundo
Desiludida contigo
Coração moribundo
Demasiado vivido

Lágrimas de um coração
Transcritas para o papel
Bocados de uma paixão
À qual nunca fostes fiel

Prometi fazer-te feliz
Deixando para trás a minha própria felicidade
Deixei tudo por ti
Até a minha ultima réstia de insanidade

[ Magoada.. Triste.. Infeliz.. ]
[ Poema de merda...]

Thursday, 18 October 2007

Morte..


És bela, ó imortal!
derramas, cruel, teu véu sombrio e atormentado
sobre meu horizonte oscilante entre o bem e o mal,
só para eternizar, em mim, teu olhar de céu nublado.
És a estátua helénica que cinzelei em meu inverno nevado
Aniquilas, ó anjo ardiloso, com teu colo de ninfa fatal
teu escultor, atravessando-lhe com um afiado punhal,
que mesmo sangrando, segue idolatrando teu ato alucinado

És bela, ó anjo sedutor!
Sublinhas, impiedosa, as palavras que corroem meu verso
dentro de minha poesia, transbordante de melancolia e dor,
só para descobrir-se musa sublime de meu delirante universo.
És a beleza que ofusca meu nocturno olhar!
Enegreces, minuciosa, as rosas pálidas do meu selecto jardim,
e perfura-me com espinhos, só para meu coração machucar,
para depois, conduzi-lo a um êxtase sem fim...

Morte..

És bela, ó imortal!
derramas, cruel, teu véu sombrio e atormentado
sobre meu horizonte oscilante entre o bem e o mal,
só para eternizar, em mim, teu olhar de céu nublado.
És a estátua helénica que cinzelei em meu inverno nevado
Aniquilas, ó anjo ardiloso, com teu colo de ninfa fatal
teu escultor, atravessando-lhe com um afiado punhal,
que mesmo sangrando, segue idolatrando teu ato alucinado

És bela, ó anjo sedutor!
Sublinhas, impiedosa, as palavras que corroem meu verso
dentro de minha poesia, transbordante de melancolia e dor,
só para descobrir-se musa sublime de meu delirante universo.
És a beleza que ofusca meu nocturno olhar!
Enegreces, minuciosa, as rosas pálidas do meu selecto jardim,
e perfura-me com espinhos, só para meu coração machucar,
para depois, conduzi-lo a um êxtase sem fim...

Wednesday, 17 October 2007

Question..

Poderás chamar alguém que conheces apenas a algumas semanas de "amigo"?

Dêem-me a vossa opinião...

[ Desculpem o abandono do blog.. Ando incrivelmente ocupada.. A escola dá cabo de mim -.-' ]

Wednesday, 3 October 2007

Não te apaixones pelo amor

Apaixona-te por alguém que:
Te ame, Que te espere,
que te compreenda mesmo na loucura; de alguém que te ajude,
que te guie, que seja teu apoio, tua esperança, teu todo.
Apaixona-te de alguém que não te traia, que seja fiel, que sonhe contigo,
que só pense em ti, em teu rosto, em tua delicadeza, em teu espírito
e não em teu corpo ou em teus bens.
Apaixona-te por alguém que te espere até ao final,
de alguém que seja o que tu não elejas o que não esperas.
Apaixona-te de alguém que sofra contigo, que ria junto a ti, que seque tuas lágrimas,
que te abrigue quando seja necessário, que se alegre com tuas alegrias e que te dê forças depois de um fracasso.
Apaixona-te por alguém que volte ao teu lado depois das brigas,depois dos desencontros,
de alguém que caminhe contigo, que seja um bom companheiro, que respeite tuas fantasias, tuas ilusões.
Apaixona-te por alguém que te ame.
Não te apaixones pelo amor, Apaixona-te por alguém que esteja apaixonado por ti.

Monday, 1 October 2007

Mágoa..

Mentiras do passado
Assombram o presente
Lembranças esquecidas
Teimam em ser lembradas

Um coração partido
Que deseja ser colado
Um anjo caido
Que lá fora anseia por voar

Um feixe de luz
Que ilumina por entre a escuridão
Uma luz no fim do túnel

Alguem no fundo do abismo
Que apesar de tudo, ainda não foi esquecido

Uma alma que vagueia
Pelas trevas sem rumo
Simplismente mais alguem
Que se perdeu ao tentar renascer

Poema escrito a muito tempo...