Tuesday, 30 June 2009

Preocupo-me tanto com quem está a minha volta que por vezes esqueco de mim...

Como consegui chegar a este ponto? Como consegui deixar de sentir que estou viva? Como consegui perder o rumo do meu caminho? Como desci tão baixo?

Mas ainda assim, o que mais me preocupa são as poucas pessoas que realmente são meus amigos... E tu aninha, minha pequenota, és quem mais mme preocupa...

Wednesday, 17 June 2009

Hoje o céu não tem estrelas... Pelo menos não as vejo da janela do meu quarto... E nem tenho vontade para ir lá fora olhar para elas... Para algo que sempre me fascinou... Nem para isso tenho forças...

Monday, 15 June 2009

Caguei... Em ti, em todos... Que se fodam... Não precisam de mim, eu não preciso de ninguém... Muito menos de ti... Não preciso de viver presa a ti, de sonhar, de ser feliz. Não preciso de fazer planos, de projectar objectivos. Preciso apenas de me libertar de ti, do que sinto por ti, deste mundo, de todos. Não tenho de viver com esperanças de mentira, a brincar aos amigos, às amizades perfeitas, aos sonhos por realizar. Não quero isto. Estou farta, cansada, pelos cabelos. Será que esta gente só sabe mentir?! Será que já ninguém sabe o significado de AMIZADE!? Parece mesmo que não man... Sabes que mais? Caguei. Vamos todos viver num mundo de mentira, de engano e de sinismo. Sim, posso ser uma cabra, e depois? Quem não pode?

Thursday, 4 June 2009

Desde muito pequena que ensinaram-me a não desistir dos meus sonhos... Desde sempre acreditei que desistir não era uma hipótese... Acreditei que tal coisa era para os fracos, para quem não sabia viver. Hoje vejo que a vida em si não é tão linear. A vida é tão complexa, tão cheia de obstáculos, de desilusões, de tristeza. Pergunto-me o porque de ter sido ensinada a sonhar tão em menina. Porque?! Porque crescer numa ilusão? Porque não me ensinaram a ver a realidade tal como é? Porque? Arrependo-me por ter acreditado. Arrependo-me de não ter podido contradizer quem me cegou em menina. Que fez de mim a típica rapariga cheia de sonhos e força para os concretizar. Mas esqueceram-se de um pequeno pormenor (ooops dizem eles...) a força é como uma flor... Se não é regada e não apanha luz do sol, acaba por morrer. Tal como a força que plantaram em mim. E simplesmente deixaram a desvanecer. Hoje vejo-me na pele daqueles que sempre incentivei, ajudei e não deixei desistir. Vejo-me do outro lado da moeda, completamente oposta ao que sempre fui, ou talvez, ao que sempre desejei sei. Perdi toda a confiança, esperança e vontade de vivier. Custa-me tanto olhar ao meu lado e ver este vazio tão grande... Fechar os olhos e só ver um enorme borrão no mesmo lugar onde dantes via imagens tão nítidas do meu paraíso perfeito. Do meu mundo. Mundo que hoje já não existe...

Sinto-me devastada... Como se já nada fizesse sentido...

Tuesday, 2 June 2009

Nos cinemas a 26/11/09