Tuesday, 31 March 2009

Sunday, 29 March 2009

"I dream about being with you forever"

Uma frase que me marcou imenso nos últimos dias. Nos tempos que correm as raparigas são ensinadas desde o berço a acreditarem no tal "príncipe encantado", no "amor eterno", nos ditos contos de fadas. Pelo menos, na minha época foi assim. Vivi durante anos a sonhar e a suspirar pelo tal amor que nunca chegou... Pelo menos não até hoje... Tantas e tantas vezes sonhei ser feliz, sonhei conhecer "o tal". E para que? Para crescer e dar-me conta de que a ficção não faz parte da vida real... Para acordar de repente e ver que tudo não passou de um sonho... Chamem-lhe burrice ou estupidez... Com esta história de ficção voltei a sonhar como quando era pequenina... Como a tantos anos atrás... Ao som da musica do piano a minha mente transporta-se para outro mundo, num universo paralelo, onde todos os sonhos podem tornar-se realidade.

Dou-me conta de repente que estou condenada a viver num mundo em que nada desse género é possível, onde nada nem ninguém nos pode resgatar da nossa própria solidão e angústia.
Sinto-me vazia por dentro, sinto-me oca. Falta-me o amor com que sonhava. Falta-me sentir o que nunca senti. Falta-me conhecer uma pessoa que não existe, pelo menos não para mim. Vejo todos a minha volta felizes, vejo todos a encontrarem a pessoa por quem sempre esperaram. E eu? lol... Eu não conto. Eu vou ficando. Até um dia... Até ao dia em que a minha existência torne-se meramente insignificante para todos. Talvez depois desse dia alguém me veja. Alguém repare em mim. Talvez depois desse dia, este vazio que me consome desapareça. E se nada acontecer? E se esse dia nunca mais chegar? E se ...

Novamente o tormento dos "ses" volta a instalar-se no meu pensamento, na minha vida, no meu coração. Neste coração que tem sobrevivo ao longo dos anos. Dos anos que a cada vez se tornam mais longos, mais vazios, mais tristes. Pode ser que agora este coração cure das feridas que carrega até hoje de tempos que já vão longe. De memórias esquecidas que teimam em voltar a ser lembradas.

Talvez o tempo, e só o tempo me ajude a aprender definitivamente a não sonhar... A não acreditar... A não sentir... Talvez... Um dia... Este vazio... Talvez desapareça... Talvez...

Saturday, 28 March 2009

não desperdicem esta oportunidade que a vida vos deu ! são perfeitos um para o outro :) na simplicidade do vosso amor reside a capacidade de se completarem mutuamente. lutem por isso e nunca por nunca desistam de viver. um obraço e um beijinho grande

força mano rogério e amiga diana :)

sejam felizes !

Friday, 27 March 2009

How can you talk when you've nothing to say?
How can you live when your soul is decayed?
How can you trust when there's nothing but lies?
How can you love when you only despise?

Don't look away, don't look away
Your pitiful world will crumble someday
Don't look away, don't look away
In the end there's no trust
There's only betray

How can you be at peace with yourself
When only hate and disgust escape from your mouth?
How can you punish anyone who resists
To fall in your trap where only failure exists?

In the end there is nothing
In the end there is you
In the end there is no one who will comfort you
In the end there's no mercy
No absolution of guilt
In the end there's just you
And the lies that you built

Só tu e as tuas mentiras. Só tu e o teu fracasso. Só tu, porque eu já não estou contigo. Já não estou ao teu lado. Estás por ti mesmo.

Por muito que custe... Adeus e até nunca mais...

Wednesday, 25 March 2009

If you still care don't ever let me know...

Monday, 23 March 2009

"uma canção triste para aquele momento. para este momento. para todos os momentos irremediáveis sem ti."

Ou ando numa maré de azar, ou ando a chocar qualquer cena má ou ando para voltar aos calmantes e anti-depressivos.. Já faltou muito mais...

enfim...

Wednesday, 18 March 2009

Desisto! ... Gente como tu não vale a pena! Hás-de bater muito com a cabeça na parede, hás-de sofrer muito, chorar ainda mais até aprenderes a dar valor à amizade que te dão! Sim, porque a minha, acabaste de a perder.

ATÉ NUNCA MAIS!

Friday, 13 March 2009

Para ti...

Pediram-me para descrever o Francisco… Mas sinceramente não sei por onde começar! Pelo início talvez seria boa ideia. Quando o conheci, a primeira impressão que tive do “moço” não foi das melhores. Ouvia o que falavam sobre o “Marius” mas não tinha nenhuma opinião formada sobre ele. Digamos que conheci-o no momento certo da minha vida. No momento em que mais precisei só ele lá esteve. Nessa altura conheci o Chiquinho que pela sua maneira de ser e de ver a vida entrou na minha vida e firmou território. Conheci um amigo para toda a vida. Conheci alguém que sabe ouvir, que sabe aconselhar, que sabe lá estar, que sabe falar e mais importante, sabe do que fala. Tantas conversas tivemos, sobre os mais variados temas. Tantas horas passamos a rir juntos, a fazer planos para o amanhã e para o ontem até. O Francisco ajudou-me a reafirmar-me perante a vida. Deu-me a mão e NUNCA virou-me as costas. O companheirismo, a sinceridade, os “atrufios”, a alegria, os sorrisos, os sonhos, os momentos que passamos juntos jamais serão esquecidos. Aquele miúdo baixinho com cara e estilo de mau nem é assim tão mau. Visto de fora, marca presença. A roupa preta, as botas à mostra, as correntes e coleiras marcam presença. Por dentro, é só mais um ser humano com qualidade e defeitos, tal como outro qualquer. Tal como qualquer um de nós. Mas nessa semelhança, o Francisco distingue-se com uma grande diferença que faz dele único: a capacidade que tem de ouvir e ajudar, servir de apoio sem nunca, nunca pedir nada em troca. Nos dias que correm, essa qualidade é de se valorizar. E o nosso Chiquinho tem muito dessa! Deixo um grande abraço ao meu amigo e “pai” Francisco e um enorme beijinho, com apenas uma certeza, das poucas que podemos ter nesta vida: és o tal que eu nunca irei esquecer. E aconteça o que acontecer, ficarás sempre comigo! Obrigado por fazeres parte da minha vida amigo!

Thursday, 12 March 2009

Voltaste a aparecer. Mas e agora? Depois de tudo o que me disseste e depois de tudo o que me fizeste passar vens-me com a história do [...] não te quero perder [...] ? Agora não sei o fazer, não sei o que pensar, só sei que agora, mais do que nunca, quero fugir para bem longe, esconder-me do mundo, esconder-me de ti... FODA-SE!

Como dói :(

Wednesday, 11 March 2009

Far Away

Let me take you far away
Where the ravens fly
And the valkyries cry

Let me take you far away
Where the gold halls gleam
and Allfather dreams

Far Away... Far Away...

Let me take you far away
Where the high-ones meet
At the One-eye's seat

Let me take you far away
Where Baldur sleeps
And all creation weeps

Far Away... Far Away...

Let me take you far away
To the mountains high
That reach the sky

Let me take you far away
To the stars that shine
At the end of time

Far Away... Far Away...

Tuesday, 10 March 2009


Esta solidão consome-me. A vontade de desaparecer é cada vez maior. Sair a correr e deixar tudo para trás. Se cada lágrima que deixo escapar fosse uma parte de mim que voasse para longe, nunca mais me importaria de chorar. Se cada lágrima que deixo escorrer trouxesse de volta a sensação de estar segura, protegida, acompanhada pelo mundo, jamais impediria uma que fosse que sair. Jamais me sentiria presa nesta vida, neste labirinto, neste tormento. Se pudesse voar, estaria do outro lado do mundo. Se bem que não adiantaria de muito, as memórias perseguir-me-iam até ao fim. Quem me dera poder esquecer, poder apagar cada momento de dor, de amargura e até mesmo de felicidade que tive.

A felicidade é o cálice proibido, enquanto não o provar não sabes o que é, mas depois de descobrir, um golo já não basta porque a sede já aumentou.

É tão difícil livrares-te de algo que te persegue dia após dia, que está presente em cada pensamento, em cada lembrança, em cada olhar para o vazio da vida. Não quero mais acreditar nas pessoas, seja em quem for, não quero voltar a confiar, a dar a minha amizade. NÃO QUERO! Mas como "burro velho não aprende" lá vou eu dar mais algumas cabeçadas até aprender...

Até lá vou continuar... O mundo não pára e eu nada posso fazer em relação à isso... Sou só mais uma num mundo de milhares de milhões de pessoas. Só mais uma que não faz cá nada ( ... )

Thursday, 5 March 2009


Perdi-me nos teus braços, senti-me segura quando me seguraste num abraço sem fim. As tuas palavras aqueceram o meu coração e aos poucos aprendi a gostar de tudo em ti. Cada sorriso, cada abraço, cada carícia, cada pequeno centímetro do teu corpo... Tudo em ti fascinou-me... Tudo em ti fez-me acreditar que um dia tudo ficaria bem e que finalmente seria feliz, contigo ao meu lado. Mas agora tudo mudou, once again. Quando tudo parece perfeito há sempre algo que acaba com tudo. Contigo fui capaz de sonhar novamente, de pensar que seria feliz, de sentir, de viver... Contigo aprendi o sentido da existência, do afecto, da vida... E agora? Um fim tão inesperado, tão cruel para os meus sonos, para o meu coração. Quem me dera que isto tudo nao passasse de um sonho, ou melhor de um pesadelo do qual pudesse acordar a qualquer momento e dar-me conta que continuava ao teu lado...