Sunday, 12 April 2009

Que fazer quando não está ninguém à nossa volta? Que fazer quando TODOS que pensávamos existir diariamente na nossa rotina desaparecem sem dar a mínima explicação? Não sei... Sinceramente não sei... Então agora, estou cada vez mais desiludida com TODOS que se diziam meus amigos, quase do meu sangue. Aqueles que a pouco tempo atrás (até mesmo porque não foi assim a muito..) estaria quase disposta a arriscar a minha própria vida por eles. Mereciam esse sacrifício da minha parte? NÃO. E mostraram-no agora. Quando mais precisei estava aí alguém? NÃO. E quando eles precisaram? Estava eu lá? Sempre que me foi possível sim, e quando não estava, ao chegar fazia o mínimo, um pedido de desculpas e o apoio naquela hora.

A vida não foi feita para ser fácil, e cada vez aprendo que dói muito mais viver nesta realidade cruel e masoquista que nos sonhos dum universo paralelo onde NADA existe desta podridão de mundo.

Estou cada vez mais decidida a mudar-me para Marte quando decidirem que aquilo é habitável...

4 comments:

AnjoNegro_Goth said...

É muito triste quando estendemos a mão e cagam em cima dela.

Rochedo

Monte de pedra fria,


Onde o mar arrebenta.


São lágrimas da minha agonia


São palavras da dor sedenta.



É a força de quem suporta o mundo,


É falar e louvar o silêncio,


Conseguir parar o mundo num segundo


Para consolar quem soluça imenso.



É enfrentar barreiras de espinhos,


Lutar contra o fogo para obter carinhos,


Abraçar almas despedaçadas.



Mas para quê ser tudo se não se é nada


Pois não há rochedo para esta naufragada


Que morre afogada nas suas lágrimas.

Este foi um poema que eu fiz há já algum tempo a falar sobre isso.

galinha dos ovos da páscoa said...

Sempre as mesmas queixas e decepções..Esperamos sempre muito dos outros e enquanto assim for estaremos mal!!

galinha dos ovos da páscoa said...

Sempre as mesmas queixas e decepções..Esperamos sempre muito dos outros e enquanto assim for estaremos mal!!

Isis said...

as pessoas desiludem-se porque querem, que tal não criares expectativas sobre os outros?
Que tal não esperares nada deles?
Simplesmente vive a tua vida, e não idealizes as coisas, as aparencias enganam...
E não és apenas tu a caixinha de surpresas, qualquer humano o é...