Sunday, 29 March 2009

"I dream about being with you forever"

Uma frase que me marcou imenso nos últimos dias. Nos tempos que correm as raparigas são ensinadas desde o berço a acreditarem no tal "príncipe encantado", no "amor eterno", nos ditos contos de fadas. Pelo menos, na minha época foi assim. Vivi durante anos a sonhar e a suspirar pelo tal amor que nunca chegou... Pelo menos não até hoje... Tantas e tantas vezes sonhei ser feliz, sonhei conhecer "o tal". E para que? Para crescer e dar-me conta de que a ficção não faz parte da vida real... Para acordar de repente e ver que tudo não passou de um sonho... Chamem-lhe burrice ou estupidez... Com esta história de ficção voltei a sonhar como quando era pequenina... Como a tantos anos atrás... Ao som da musica do piano a minha mente transporta-se para outro mundo, num universo paralelo, onde todos os sonhos podem tornar-se realidade.

Dou-me conta de repente que estou condenada a viver num mundo em que nada desse género é possível, onde nada nem ninguém nos pode resgatar da nossa própria solidão e angústia.
Sinto-me vazia por dentro, sinto-me oca. Falta-me o amor com que sonhava. Falta-me sentir o que nunca senti. Falta-me conhecer uma pessoa que não existe, pelo menos não para mim. Vejo todos a minha volta felizes, vejo todos a encontrarem a pessoa por quem sempre esperaram. E eu? lol... Eu não conto. Eu vou ficando. Até um dia... Até ao dia em que a minha existência torne-se meramente insignificante para todos. Talvez depois desse dia alguém me veja. Alguém repare em mim. Talvez depois desse dia, este vazio que me consome desapareça. E se nada acontecer? E se esse dia nunca mais chegar? E se ...

Novamente o tormento dos "ses" volta a instalar-se no meu pensamento, na minha vida, no meu coração. Neste coração que tem sobrevivo ao longo dos anos. Dos anos que a cada vez se tornam mais longos, mais vazios, mais tristes. Pode ser que agora este coração cure das feridas que carrega até hoje de tempos que já vão longe. De memórias esquecidas que teimam em voltar a ser lembradas.

Talvez o tempo, e só o tempo me ajude a aprender definitivamente a não sonhar... A não acreditar... A não sentir... Talvez... Um dia... Este vazio... Talvez desapareça... Talvez...

4 comments:

The Whisperer said...

Talvez quando um dia conseguires olhar para ti com mérito e não com crítica.. `talvez quando conseguires sorrir livre sem sarcasmos na vida.. talvez quando reparares que o mundo te morde, mas quem te mata és tu.. talvez aí repares que nem todos os sonhos são utópicos

Betsie Zombie (Vanessa) said...

não sejas tão negativa.
se pensares assim, aí é que o encontras, MESMO!
valoriza-te e valoriza os outros! Hás-de o encontrar, vais ver! ;)

a.m said...

O amor não se procura encontra-se, não existem principes perfeitos, não existe o tal, nem o ideal. O que existem são pessoas, com qualidades e defeitos, tal como tu, tal como eu, tal como todos nós. Apenas quando se aprende a aceitar isso, aí sim, podemos ser encontradas por alguém que nos respeite pelo que somos e queremos.

*tinha muito que te disse-se sobre este assunto, não que seja uma expert, mas porque vivi na pele a maior solidão e desprezo que se pode ter, aquele dado por quem se ama, e como saí desse abismo*

Um dia conto, se for oportuno, se quiseres saber.

beijinho

Miranda said...

Aconselho-te a fazeres como eu.
Deixa de pensar no amor, de lutar por ele. Custa ao principio, mas depois habituas-te. Eventualmente aparecerá alguem, mais cedo ou mais tarde.