Friday, 22 August 2008

"Todo o imperativo de amar é puro masoquismo. De ser amado, mero sadismo."

Fernanda Young

5 comments:

Magykeiser said...

Por favor, toda a gente sabe que se não fosse eu jamais saberias da existência de tal frase ^^
;**

Lord of Erewhon said...

Não conheço a autora e depois de ler não fiquei interessado.

O pensamento não é apenas absurdo, é a negação de tudo o que o Gótico é, enquanto movimento neo-romântico. Na concepção gótica de amor não há o estabelecimento de uma relação de poder, de domínio ou submissão. O próprio conceito de dor, procura da dor, ou produzir dor, não existe. Isso é merda publicitária do lobby da BDSM, que não passam de uns reles imitadores de casacos e corpetes que gostam de ser enrabados enquanto levam nos cornos. Ou seja: just shit.

O conceito gótico de amor implica o acordo alma/corpo, a alma que liberta o corpo e o corpo que liberta a alma, numa comunhão, de dois, ou mais, acima dos preconceitos do cristianismo, do existencialismo ateu, e de toda outra merda qualquer.

Não há dor, não há contentamento: há um eros assumido como um sopro tremendo das energias espirituais do mundo, usadas como um machado político e uma fonte de júbilo e sabedoria.

Magykeiser said...

instead of love, we filled our hearts with pride... all I feel is pain

The Whisperer said...

Não ligo a citações... porque eu sei que quem quer quem as escreveu foi alguem humano como eu, sofredor como eu, sonhador, estupido, raivoso, etc etc como eu.. logo, não é mais do que eu!

Penso sempre pela minha cabeça e faço as minhas proprias "quotes" =)

Mas também reconheço que essas citações nos podem de alguma forma ajudar a ver o caminho..dependendo das pessoas, claro

Lord of Erewhon said...

There is no pain; pain is an illusion of the five senses - above and beyond the Soul is pure joy!

Read William Blake, «The Marriage of Heaven and Hell».

P. S. E a pseudo «sofredura» de amor nada é, mas sim impotência do desejo - não implorem, não «pedinchem», não se arrastem; conquistem, tomem!